Um novo dia mostrou-se bastante promissor para Shruikan. Seguindo caminho até à aldeia de Yellowseed por trilhos já seus conhecidos, cruzou-se com uma clara mudança na paisagem. O lago onde enfrentou aquela espécie de polvo gigante e onde o desintegrou, estava completamente enegrecido, longe da pureza cristalina que primeiro era sua. E essa mesma água parecia espalhar-se na direcção do interior da floresta. Ignorando tal visão, face a outros assuntos que lhe eram mais importantes, retomou o seu rumo.

Chegou a uma das vias principais a meio da tarde e logo ficou claro que as forças de Bahamut continuavam presentes, com soldados a revistar quem entrava e saía da aldeia. Perante isto, tratou de escrever uma carta, e, parando um casal de gnomos que por ali passava, pediu que a entregassem a um homem chamado Dreis. Assustados com o seu aspecto e temendo o pior, anuíram. Na carta dizia para que se encontrasse com ele no topo da montanha adjacente à aldeia. Posto isto, restava-lhe subir essa mesma montanha, o que cedo mostrou estar longe de ser algo fácil de conseguir e que acabou por o levar à exaustão.

No seu topo, e enquanto recuperava o fôlego, apercebeu-se de que estava na companhia de um gigante, se bem que incauto à sua presença, sentado entre as rochas. Avançando sorrateiramente na sua direcção, lançou-se sobre ele assim que começou a mostrar sinais de que se ia levantar. Com a Mão de Vecna, o gigante estaria longe de ser um adversário à altura, mas, ainda assim, só conseguiu recorrer a ela depois de o gigante o ter arremessado com toda a sua força contra o chão rochoso. Assim que o fez, restou ao gigante gritar enquanto era transformado numa massa viscosa e sem vida. Com este problema resolvido, restava-lhe agora esperar.

Dreis acabou por surgir e os dois falaram. Shruikan deixou claro que estava mudado, que os seus objectivos eram outros e que queria falar com a Ordem de Bahamut nesse mesmo sentido. Desconfiado, Dreis retirou-se, prometendo regressar à noite com um membro da Ordem.

Shruikan aguardou uma vez mais, até que Dreis regressou na companhia de alguém que se apresentou como sendo Comandante Alder.

O diálogo retomou, com Shruikan a formular fortes argumentos. Se ele queria mesmo destruir tudo e todos, porque é que ainda não o fez? Alder ficava cada vez mais desconfiado enquanto que Dreis parecia ficar convencido de que Shruikan era realmente um homem mudado.

Os dois retiraram-se, alegando que iriam convocar os membros superiores da Ordem, e pediram a Shruikan, como prova de boa vontade, para não abandonar as imediações.

Shruikan acampou e antes de se levar pelo sono, prometeu a Asmodeus que uma nova torrente de almas iria chegar aos Infernos. Uma profunda gargalhada ecoou nas profundezas da sua mente como resposta.

Published
Categories Tales of Dosluvi
Views 105