Depois de se voltarem a reunir, estipularam que o melhor a fazer seria manter o perímetro e alargá-lo para aferir quaisquer outras influências de Amadeus.

Enquanto os primeiros turnos tinham lugar, Shruikan subiu até ao seu quarto e estudou o livro. Estava na linguagem infernal mas felizmente ele conseguia lê-la. Todas as páginas diziam “Ao luar com a estrela da noite, a estas páginas falarás”.

Meditando e apelando a Asmodeus, perguntou-lhe se ele sabia alguma coisa sobre isto e se estaria até envolvido. Como resposta, Asmodeus disse, num tom de claro prazer, que não sabia de nada e que toda a situação era deveras interessante.

Movido pelo enigma, Shruikan foi até à janela. A lua brilhava sobre Butterpond, mas não conseguia vê-la. Subindo até ao telhado, ela era mais que visível e estava quase cheia. Tratou de proferir aquela mesmas palavras, inclusive na língua infernal, mas se alguma resposta foi dada, ele não se apercebeu.

No dia seguinte, a frustração de Lia era palpável, não só pelo tempo que demoraria a receber uma resposta, como também para a chegada dos reforços e ao facto de parecer que Amadeus estava sempre um passo à frente. No máximo dos máximos, conseguiram apurar que ele ocasionalmente vinha a uma das janelas da sua casa e que as residências vizinhas se mostravam desertas.

O presente dia dificilmente iria resultar em novidades dos lados de Silverkeep, pelo que deveriam continuar com o que já estavam a fazer, esperando sempre o melhor.

Durante uma das rondas de Shruikan, ele apercebeu-se que Amadeus tinha vindo a uma das janelas e que o olhava. Disse-lhe em gestos algo que ele não conseguiu perceber, e desapareceu.

Ao fim da tarde, enquanto dava uma nova volta, decidiu retribuir o uso de gestos, fazendo sinal pelos vários lados da casa para que ele se apressasse.

De regresso à taverna, e enquanto trocavam pareceres, Lia recebeu uma mensagem de Ander, confirmando a recepção do relatório e para continuarem o que estavam a fazer enquanto os reforços não chegassem. Assim fizeram. E para grande surpresa de Shruikan, a mando de Lia, ele iria fazer a próxima ronda na companhia de Dominic.

Nas traseiras da casa, Shruikan conseguiu ver uma vela acesa numa única janela, e depois de aguardarem para que algo acontecesse, Dominic avançou para trepar até ela.

Nesse mesmo momento, Amadeus apareceu e replicou o gesto, embora mais elaborado. Avançando, Shruikan foi imediatamente mandado parar por ele, que desapareceu depois de receber Dominic com um sorriso e um aceno.

De regresso ao seu quarto e procurando dar o dia por terminado, não conseguiu deixar de sentir uma gargalhada de Asmodeus a ecoar na sua mente.

Isso nunca era bom sinal.

Published
Categories Tales of Dosluvi
Views 59