A viagem começou e do breve silêncio que se mantinha, Ander interveio e inquiriu Shruikan sobre o seu destino, ao que este apontou Sureixia e Silverkeep como pontos de interesse, mas Sureixia como prioridade. Contudo, precisaria de conversar a sós com Dominic para decidir ao certo o que e como fazer. Aproveitando uma paragem para uma refeição, foi consentido que os dois reunissem.

Os dois falaram e o que ficou presente foi a importância de Dominic cooperar com a Ordem no sentido de atenuar a sua pena e a de Shruikan, ao mesmo tempo que salvaguardava a vida de ambos. Tal implicaria revelar à Ordem a localização dos vários pontos de actividade da guilda e os seus vários representantes. Tal não agradou a Dominic, mesmo não se tratando da primeira vez que ele fizera algo do género, embora como agente duplo. Mas o facto de tal permitir que Tholok não o decapitasse e que ele vivesse pelo menos mais um dia, foi suficiente para que, a grande custo, ele se disponibilizasse, com a ajuda inicial de Shruikan, a cooperar com Ander e os restantes membros da Ordem nesse sentido.

Tal fizeram quando retomaram viagem, e ficou combinado que enquanto Shruikan iria tratar de se dirigir a Sureixia e resolver dos assuntos que tivesse que resolver, Dominic iria com Ander e os restantes, reunindo-se depois todos em Silverkeep.

Trocando o seu lugar pela montada de um dos soldados que fazia parte do grupo, Shruikan despediu-se individualmente de todos com uma notável simpatia e com a promessa de que iria regressar.

Embrenhando-se pelas florestas na direcção a Shivar, onde apanharia o barco para Sureixia, enquanto era encoberto pelas nuvens negras e pelo cair da noite, Shruikan procurou a avançar o mais que podia. Contudo, acabou por não ter outra opção a não ser parar para montar acampamento e procurar terminar o dia.

Enquanto o fazia, o palrar de um corvo ecoou pela noite. Shruikan recebeu-o com agrado e assim que as primeiras palavras lhe saíram, um pequeno galho pareceu partir-se, e por baixo da árvore onde o corvo estava, uma figura feminina apareceu, numa armadura negra e discreta, com a cara parcialmente tapada por um capuz. Perguntou se Shruikan ia em direcção a Sureixia e após confirmação perguntou se podia juntar-se a ele. Antes que Shruikan dissesse o que quer que seja, não conseguiu deixar de ver o corvo a pousar no seu ombro.

Published
Categories Tales of Dosluvi
Views 84