Antes de começarem com o reconhecimento, Shruikan tomou a liberdade de avisar Ander sobre o contrato que tinha previamente assinado com a guilda e que à partida permitiria que tanto ele como Dominic fossem facilmente encontrados. Esse risco poderia arruinar a operação, tal como levar a infiltrações na ordem e no templo. Apesar de tudo, ele tinha uma ideia que ajudaria a resolver o problema, e tal passaria por transformar o seu familiar numa aranha.

Trataram de se esconder numa casa abandonada adjacente ao edifício colapsado que fazia de fachada para a sede da guilda em Silverkeep. Através dos olhos da sua aranha, viu duas figuras a guardar um pequeno escritório onde Selise tratava de uma série de burocracia.

Um dos papéis que entretanto lhe fizeram chegar era na mais nada menos que uma recompensa pela captura ou morte de Dominic e Shruikan. Viu-a a preparar uma série de armas e mais tarde a preparar três missivas, entregando-as de seguida a um dos seus homens.

Voltando ao seu estado normal, Shruikan passou o que viu aos restantes. Dominic ficaria encarregue de seguir o rasto de um, enquanto ele e Isovae seguiriam o outro.

A perseguição levou-os a uma troca das missivas entre dois agentes, agentes estes que Shuikan tratou de imobilizar e persuadir magicamente. Agora nas suas boas graças, tratou de os persuadir a regressar e dizer que as missivas foram devidamente entregues. De seguida, Shruikan levou-os até ao templo de Bahamut, onde foram presos depois de confessarem os seus antecedentes e filiações, mesmo antes de o efeito do feitiço passar.

Já tinham uma excelente fonte de informação, mas ainda assim, Shruikan e Isovae trataram de regressar para continuar a estudar o espaço e quem por lá poderia passar.

Assim que chegaram, viram alguém a ser levado em braços para o interior da sede.

Shruikan voltou à sua aranha e viu Dominic atado a uma cadeira e a ser interrogado por Selise sobre o seu paradeiro.

Published
Categories Tales of Dosluvi
Views 131