Shruikan passou uma série de horas nos arquivos, mas se encontrou algo relevante para os problemas que tinha em mãos, só o tempo poderia dizer.

Tentou falar com Ander, mas não o encontrou em lado nenhum. Em vez disso, viu toda uma guarnição de membros da Ordem de Bahamut aos portões do templo, enquanto decorações com sóis radiantes eram transportadas em nome de Pelor.

Sentindo-se perdido, visitou o interior da catedral e lá procurou partilhar as suas preocupações com a Rainha dos Corvos, que respondeu na forma de um corvo que prontamente o levou ao quarto de Isovae. Notou que ela estava significativamente abalada com os eventos da noite anterior, principalmente com o contracto que teve que ser feito e que mais cedo ou mais tarde viria a ter que ser cumprido.

Shruikan procurou reconfortá-la, e despediram-se com a certeza de que estavam seguros na amizade que partilhavam.

Saindo do templo, tratou de ver melhor a procissão que já corria por Silverkeep. Subindo aos telhados e procurando um lugar na dianteira, conseguiu por fim ver Ander juntamente com duas figuras que, pelos trajes, pareciam estar associados a Pelor e à Rainha dos Corvos.

No meio desta visão pacífica de crença partilhada e de respeito mútuo, sentiu uma queimadura familiar na mente, e a lembrança de que havia um acordo para cumprir.

Published
Categories Tales of Dosluvi
Views 73