O acordo consistência em raptar a rainha e trazê-la para junto daquele meio-orc com que se tinha cruzado previamente. Não lhe foi especificado quando nem como o deveria fazer, apenas que tinha que ser feito e que Isovae estava a ser observada.

Misturando-se com a procissão, Shruikan viu-se no interior do luminoso templo de Pelor, e lá assistiu à cerimónia até ao fim, participando nela conforme podia.

Com tudo concluído, ficou à entrada, à espera que a família real e depois Ander e os restantes sacerdotes saíssem. Ander confrontou-o rapidamente, e Shruikan alegou que tinha algo que queria debater com ele.

Apresentações seguiram-se, com Shruikan ficando a conhecer Enrol Mercier, padre de Pelor, e Calarel Aluilatani, que parecia estar filiada à Rainha dos Corvos. A última mostrou-se particularmente interessada em Shruikan, e ficou combinado que se encontrariam no dia seguinte no seu templo.

Recuando na companhia de Ander até ao seu escritório, Shruikan tratou de falar no seu plano de ameaçar os prisioneiros e assustá-los com a sua reputação ao ponto de aferir qual é que era o seu plano. Para além disto, poderiam depois soltar um ou outro e segui-los discretamente afim de saber para onde iriam. Ander não levantou objecções, pelo menos de momento, mas assegurou que iria ser pesadamente vigiado.

No dia seguinte, Shruikan tratou de se encontrar Calarel no templo da Rainha dos Corvos, e lá trataram de conversar sobre as suas crenças, quem ele foi e quem ele agora era.

Num passeio pelo infindável jardim de campas que cobriam o templo, Calarel pediu-lhe para não se deixar levar pode desejos de grandeza, pois isso apenas o impediria de ver o fim que é igual a todos. Pararam numa campa aberta com o nome dela gravada, sem data de óbito à vista. E pouco depois, Shruikan viu-se guiado até à sua, também ela aberta e sem data de óbito gravada.

Falaram sobre o seu pacto prévio com Asmodeus e do quão ténue ele se mantém, pois um pacto com tamanha entidade não é facilmente quebrado. Aí Shruikan revelou que desejaria ir aos infernos e conceder a Asmodeus o fim que mais cedo ou mais tarde chega a todos.

De regresso ao interior do templo, as portas fecharam-se sob a premissa de que muito mais iria ser dito.

Published
Categories Tales of Dosluvi
Views 67