Debaixo dos esgotos de Pavv e diante de Dyrk Mallory, Shruikan ficou imediatamente a saber que foi o próprio a enviar-lhe aquela estranha missiva que ele tinha recebido enquanto hóspede taberna “Os Dois Tieflings”. Dyrk Mallory não hesitou em mostrar a sua frustração não só pelo facto de Shruikan ter regressado a um sítio onde era procurado num espaço de tempo tão curto após a sua fuga, como também por ter sido forçado a intervir no seu auxílio, tudo porque seria mais simples resgatar Shruikan do que contratar alguém para recuperar a Mão e nesse sentido repetir todo o processo.

Ainda nos esgotos, pararam diante de uma comum parede e aguardaram, até que ouviram passos e esses passos revelaram a figura de Dominic Duram. Activando alguma forma de mecanismo, Dyrk fez com que a parede que tinham diante deles se abrisse, mostrando uma pequena escadaria. No seu topo, removeu uma pedra de uma outra parede, e esta também se abriu, mostrando o escritório de Dyrk em todo o seu modesto esplendor.

Shruikan e Dominic tinham os seus pertences à sua espera no topo de secretária, e depois de os reaverem, trataram de decidir qual o próximo passo. Descobriram que a Mão estava a caminho de Silverkeep, fortemente guardada e já com algumas horas de distância. O tempo era essencial e, como tal, não podiam demorar. O diálogo continuou, e através dele foram nomeados dois membros da guilda para os acompanhar e ajudar.

Despedindo-se de Dyrk, encontraram-se com esses mesmos membros, que trataram de os disfarçar com o intuito de os fazer passar por simples camponeses. De volta às ruas de Pavv, trataram de se misturar na multidão, e era mais que claro que uma caça pelos dois continuava bastante viva. Conseguiram sair da vila após uma revista da qual nada resultou, e rapidamente se viram diante das montadas que os esperavam. Seguindo caminho, trataram de se livrar dos seus disfarces assim que a distância o justificou e trataram de descansar, algo não muito confortável quando se está em cima de um cavalo.

A noite já tinha caído sobre eles quando acordaram, e após se encontrarem com um grupo de batedores, descobriram que a caravana não ia longe. Aceleraram o ritmo e assim que a viram à distância, trataram do plano e separaram-se. Os dois membros da guilda tratariam da distracção, e Shruikan e Dominic tratariam de reaver o artefacto. Assumindo as suas posições, aproveitando as sombras da noite e a vegetação local, Shruikan e Dominic aguardaram. Do nada, viram algo a ser arremessado aos vários guardas, seguindo-se de um incêndio que rapidamente atingiu gigantescas proporções, fazendo-se acompanhar dos gritos aparentes de crianças e de mulheres. Rapidamente os vários guardas que protegiam a caravana separaram-se para averiguar o que se passava, momento este que Shruikan e Dominic aproveitaram para seguir a sua parte do plano. Abrindo a porta de um dos lados da carroça, Shruikan tratou de incapacitar os seus dois ocupantes com a sua magia e retirou de lá uma arca de aço com estranhas runas gravadas à sua volta, incendiando a carroça de seguida. Atirou a arca a Dominic e recuaram enquanto este a tentava abrir. Os guardas deram o alerta e tentaram impedi-los, mas já era tarde demais. Dominic conseguiu abrir a arca e Shruikan retirou a mão do seu interior, juntando-se a ela uma vez mais. Sorrindo para os guardas, fez-se desaparecer com Dominic, surgindo desta vez diante do templo de Navina.

Agora, regressando a pé a Pavv, Shruikan podia finalmente voltar a concentrar-se no seu plano inicial.

Published
Categories Tales of Dosluvi
Views 131