Os novos planos de Shruikan levavam-no a Shivar, uma pequena aldeia onde, segundo Dyrk Mallory, poderia haver a possibilidade de arranjarem uma embarcação que o levaria a Sureixia. Contudo, face à luz de eventos recentes, optou por um desvio e preparar-se melhor enquanto a poeira assentava.

De regresso a Yellowseed, Shruikan e Dominic viram-se novamente no interior da taberna O Trovador Branco, e Shruikan rapidamente percebeu que a sua nova Mão chamava a atenção de alguns olhos curiosos, nomeadamente os de um homem que o aconselhou a tratar-se assim que se preparava para ver os quartos que entretanto reservara. Posto isto, e após debater com Dominic, Shruikan tratou de visitar o ourives que lhe foi nomeado pelo jovem estalajadeiro, enquanto que Dominic trataria de investigar aquele mesmo homem.

Dentro do pequeno estabelecimento, Shruikan viu que o ourives, Peterson Stock, era um gnomo e um indivíduo cuja pessoa e personalidade ia de encontro ao brilho da sua loja. Prontamente tratou de examinar o saco de jóias que Shruikan tinha obtido previamente após chacinar o gigante, e prontamente lhe disse que todas as pedras preciosas eram réplicas feitas de vidro. Desconfiado, Shruikan tratou de usar a Mão para ler a mente de Peterson, algo que mostrou que ele estava a ser honesto. Contudo, desta vez não lhe foi possível controlar as intenções da Mão, intenções essas que exigiam ver Peterson morto e o seu estabelecimento em chamas. Através de um Finger of Death a vida de Peterson foi-lhe retirada, e através do feitiço Sleep os restantes clientes adormeceram. Revistando a loja, Shruikan ainda descobriu dois cofres, cofres estes que se mostravam de alguma forma imunes a magia. Face a este facto, limitou-se a contentar-se com as montras mais abastadas, tudo isto enquanto o zombie de Peterson o seguia. Os efeitos da Mão continuavam a fazer-se sentir, e Shruikan não aguentaria muito mais. Após usar a sua magia para começar o incêndio, aproveitou um momento de menor movimentação para se misturar com a multidão, algo que fez com sucesso, virando a esquina debaixo de gritos de pessoas que começavam a aperceber-se do sucedido.

Veio a cruzar-se pouco depois com Dominic quando tratava de chegar às cavalariças para arranjar cavalos para o dia seguinte, algo que fez sem grande dificuldade. Regressando à estalagem, o alvoroço mantinha-se, e despistando o estalajadeiro, os dois regressaram aos seus quartos e trataram de esperar até poderem dar o dia por terminado.

Já no mundo dos sonhos, Shruikan viu-se perante uma estranha estrutura, e nela sentia algo a pulsar. Concentrando-se, aquela pequena fonte de poderosa energia assumiu a forma de um olho, e as palavras “Eu estou a ver-te” não tardaram a ecoar nas profundezas da sua mente.

Published
Categories Tales of Dosluvi
Views 199