Condições mais secas do que o normal estão previstas para o outono na Europa



Em algumas partes da França, não chove há meses. Foto: Reuters

Na França este ano, a precipitação foi menor do que o habitual já no inverno e na primavera, e a primeira onda de calor atingiu o país já em maio.

Dos Alpes às regiões vitivinícolas da Borgonha e Bordeaux, não chove há meses, nas áreas mais afetadas há uma proibição de rega há várias semanas e as pessoas também ficaram sem água potável. Os moradores recebem em garrafas, são entregues aos animais em caminhões-tanque.

Cerca de 46 por cento do território da União Europeia está a lidar com uma falta significativa de humidade do solo, segundo o relatório da Comissão Europeia, e 11 por cento já estão em condições de emergência, quando a vegetação também é afetada pela falta de água.

Devido à seca, França, juntamente com Roménia, Espanha, Portugal e Itália, vão receber grande parte da colheita deste ano e, segundo Bruxelas, a Eslovénia também está entre os países em que a situação é preocupante, juntamente com a Alemanha, Polônia, Hungria e Croácia.

Porque os fluxos fluviais são afetados, alertam em Bruxelas, serão necessárias medidas extraordinárias, a produção de energia em usinas termelétricas e nucleares localizadas ao longo dos rios foi em junho em vários países, incluindo França e Itália, inferior à média do período entre os anos de 2015 e 2021.

Nas hidrelétricas, segundo Bruxelas, a produção de eletricidade é menor na Noruega, Espanha, Romênia, Montenegro e Bulgária.

Seca ameaça metade do território da UE

Lourenço Miranda

"Entusiasta da TV. Encrenqueiro. Geek da cultura pop. Viciado em música sutilmente encantador. Aspirante a pensador."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.