Croatas também no Catar seguindo a receita russa

Hoje, a cortina cairá nas oitavas de final da Copa do Mundo. Depois dos jogos entre Espanha e Marrocos e Portugal e Suíça, será conhecida a última dupla dos quartos-de-final.


O guarda-redes croata Dominik Livaković foi o grande herói do encontro dos oitavos-de-final com o Japão, decidido nos penalties. Foto: Profimedia


DOHA
> No papel, espera-se um confronto entre os vizinhos dos Pirenéus por um bilhete para as meias-finais no sábado. Aliás, só o Marrocos pode impedir que uma seleção do velho continente chegue ao fundo do sorteio para a final da Copa do Mundo (WC), no dia 18 de dezembro. A segunda dupla das quartas de final, que acontece no sábado, é inteiramente europeu. Consiste na atual campeã França, que será desafiada pela Inglaterra após uma vitória por 3 a 0 sobre o Senegal.

Os confrontos das quartas de sexta-feira certamente terão um sabor sul-americano, mas ainda não está claro o quão forte será nas semifinais. Depois que Argentina e Holanda já conseguiram se concentrar no confronto de sábado, conseguimos a segunda dupla das quartas de final ontem à noite, após a partida entre Brasil e Coreia do Sul. A Croácia chegou aos oito primeiros antes.

200

milhões de euros que Cristiano Ronaldo poderia ganhar na Arábia Saudita por temporada

Assim como o técnico japonês previu Hajime Moriyasu o quinto confronto das oitavas de final do WC 2022 não se desenrolou em 90 minutos ou na parte regular da partida, que terminou em 1 a 1. Depois que os japoneses foram para o intervalo em vantagem e os croatas empataram no início do segundo tempo, vimos pela primeira vez a prorrogação no Catar e depois a disputa de pênaltis, que já fazia a alegria dos croatas nas eliminatórias da Copa do Mundo há quatro anos. atrás. Assim, na Copa do Mundo de 2018, venceu partidas nas oitavas de final (Dinamarca) e nas quartas de final (Rússia) e depois chegou à final após a prorrogação via Inglaterra. Ontem ele era um herói croata Dominik Livakovicque defendeu três pênaltis.

cenários europeus

No entanto, nos anais do futebol do Japão, que permaneceu nas oitavas de final pela quarta vez na Copa do Mundo, ficará registrado que levou as cabeças de Alemanha e Espanha no Catar. O elenco luis enrique vai tentar provar contra o Marrocos que a posse de bola não é um fim em si, como aconteceu no segundo tempo da partida contra o Japão. O confronto de hoje contra o Marrocos deve responder qual é a verdadeira imagem espanhola. Os marroquinos vão ser uma prova exigente, e não só porque têm as portas fechadas aos belgas e croatas.

Hoje no Catar

Rodada de 16 – Espanha: Marrocos (16), Portugal: Suíça (20).

A restante seleção africana no WC, geograficamente mais próxima do velho continente, será certamente impulsionada pelo adepto e cobrança nacional, que não se fará sentir apenas no Qatar. Os imigrantes marroquinos chamaram a atenção já após a partida com a Bélgica, quando estouraram tumultos em Bruxelas. Na Península Ibérica, as forças de segurança também estarão hoje em alerta máximo. Mesmo assim, a história tumultuada dos dois países e dos rivais do futebol de hoje está fortemente entrelaçada.

Por último, mas não menos importante, Ceuta e Melilla, enclaves de cidades espanholas na costa norte do Marrocos, foram recentemente paradas particularmente desejáveis ​​para migrantes da África subsaariana. Caso contrário, depois de 1986 no México, os marroquinos chegaram às lutas de eliminação da Copa do Mundo pela segunda vez. Eles querem dar um passo à frente no Catar, o que certamente não agradaria aos espanhóis. Depois de conquistar o título em 2010, foi eliminado na fase de grupos no Brasil, e na Copa do Mundo da Rússia 2018, foi eliminado pelos donos da casa na disputa de pênaltis nas oitavas de final.

A Primavera Árabe

A jornada de Portugal para a Copa do Mundo há quatro anos também terminou após a primeira partida eliminatória, quando o Uruguai buscava a promoção. No Catar, os escolhidos Fernando Santos eles não escondem suas ambições de ir até o fim. Portugal: A Suíça é uma das duas duplas europeias nas oitavas de final, mas no papel é muito mais imprevisível do que o duelo de domingo entre franceses e poloneses. O Santos lidera os portugueses desde 2014, um mandato mais longo do que os selecionadores da 22ª Copa do Mundo. Didier Deschamps no banco dos campeões mundiais.

Dois anos depois, o Santos levou os portugueses ao primeiro louro, o título de campeão europeu. Cristiano Ronaldo foi eleito o jogador de futebol mais valioso da fase final, sendo que na final atuou como coadjuvante devido a uma lesão. Foi o primeiro torcedor a ficar no banco, a dúvida é se aceitaria o papel de animador no Catar e, como previu, caso Portugal conquistasse o título mundial, encerraria a carreira futebolística no dia seguinte.

Os rumores sobre a nova estação árabe do pentacampeão da Bola de Ouro estão cada vez mais altos. O Al Nassr está a oferecer a Ronaldo, de 37 anos, um fabuloso contrato na sua segunda época futebolística, segundo o qual poderá ganhar até 200 milhões de euros por época com bónus, tornando-o no atleta mais bem pago do mundo.


Renata Saldanha

"Viciado em álcool incondicional. Solucionador de problemas ao longo da vida. Especialista em bacon. Defensor de viagens. Praticante de TV orgulhoso. Explorador freelance. Leitor amador."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *