Muitos países europeus no tribunal em apoio à Ucrânia no processo contra a Rússia

Os governos de 23 países europeus, incluindo a Eslovênia, solicitaram permissão para intervir nos processos da Ucrânia contra a Rússia perante o Tribunal Europeu de Direitos Humanos (CEDH), anunciou o tribunal hoje. No início da semana, o governo esloveno adotou a decisão de apresentar ao TEDH a intervenção da Eslovénia no processo da Ucrânia contra a Rússia.

O caso refere-se às acusações do governo ucraniano de violações maciças e graves de direitos humanos cometidas pela Rússia em suas operações militares no território da Ucrânia desde 24 de fevereiro, disse o TEDH, com sede em Estrasburgo, em comunicado.

Em 23 de junho, a Ucrânia entrou com uma ação contra a Federação Russa perante o TEDH por violações massivas da Convenção sobre a Proteção dos Direitos Humanos e Liberdades Fundamentais durante a ocupação militar do território ucraniano.

Os governos da Áustria, Bélgica, República Checa, Dinamarca, Estónia, Finlândia, França, Croácia, Irlanda, Itália, Letónia, Lituânia, Luxemburgo, Alemanha, Holanda, Noruega, Polónia, Portugal, Eslováquia, Eslovénia, Roménia, Espanha e Suécia. Eles também foram acompanhados pela organização não-governamental Academia de Genebra para Direito Internacional Humanitário e Direitos Humanos.

O tribunal examinará seus pedidos e decidirá sobre eles em tempo hábil, afirmaram também na mensagem. A Islândia e o Reino Unido pediram uma pequena prorrogação do prazo para solicitar a intervenção, que foi concedida, acrescentaram.

Tribunal em Estrasburgo FOTO: Vincent Kessler/Reuters

Incluindo o caso acima mencionado da Ucrânia contra a Rússia, existem atualmente cinco reclamações interestaduais da Ucrânia contra a Federação Russa arquivadas no TEDH.

O governo esloveno adotou a decisão de apresentar a intervenção da Eslovénia no processo da Ucrânia contra a Rússia perante o TEDH no início da semana.

A Eslovênia intervirá no processo ao lado da Ucrânia, que alega e comprova que a Rússia ocupou ilegalmente parte de seu território, cuja ocupação ainda está em andamento. Também afirma que a Rússia continua a realizar ataques direcionados, arbitrários e desproporcionais contra a população civil e suas propriedades em todo o território da Ucrânia, disse o Escritório de Comunicações do Governo (Ukom).

A Eslovénia, que após a invasão da Ucrânia pela Rússia de forma rápida e decisiva se aliou a Kiev e condenou a agressão russa, irá assim manifestar mais uma vez o seu apoio à Ucrânia e às suas posições, desta vez no processo contra a Rússia no TEDH.

Renata Saldanha

"Viciado em álcool incondicional. Solucionador de problemas ao longo da vida. Especialista em bacon. Defensor de viagens. Praticante de TV orgulhoso. Explorador freelance. Leitor amador."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.