O colega de Pogačar foi o primeiro, então a moto o levou na direção errada

Ciclista português furioso com erro dos organizadores.

Ele está na etapa de quinta-feira do Tour de Limousin Rui Costa, companheiro de equipe Tadeja Pogačar com o UAE Team Emirates, a dois quilômetros da meta, atacou dez rivais, que também brigaram com ele pelos primeiros lugares da classificação geral. O português conseguiu se livrar de seus concorrentes, mas depois desperdiçou tudo por descuido.

Um ciclista de 35 anos passou perto da motocicleta dos organizadores, mas virou na direção errada na rotatória. Os portugueses o seguiram, perdendo assim suas chances de vencer.

“Sem sinalização, cercas ou alguém para indicar a direção correta na rotatória um quilômetro antes da chegada, a moto na minha frente saiu na contramão. É uma pena que os fiscais não levaram isso em consideração (como aconteceu em passado), eles me deram meu tempo real na linha de chegada”, Costa ficou indignado com as ações dos comissários da União Ciclística Internacional após o término da etapa.

Ele obviamente esperava que ele fosse creditado com o tempo do grupo em que estava antes de seu ataque. Como isso não aconteceu, ele ficou 44 segundos atrás na classificação geral e, assim, ficou sem chances reais de ganhar a camisa amarela.

“É injusto,” Costa escreveu em um comentário dirigido à UCI. Caso contrário, ele poderia alcançar sua primeira vitória profissional após o campeonato nacional em 2020.

O facto de o seu companheiro de equipa ter vencido a etapa final continua a ser um consolo para o português Diego Ulisse, que passou para o segundo lugar na classificação geral, do líder Alex Aranburu (Movistar) foi separado por oito segundos. A corrida terminará hoje com uma nova etapa de montanha e terminará em Limoges.

Egídio Pascoal

"Estudante. Especialista em web. Guru da música. Especialista em bacon. Criador. Organizador. Típico viciado em viagens. Estudioso de café. Explorador."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.