Os ingleses estão pela primeira vez na final do Europeu



Os ingleses venceram a grande final nas alas dos torcedores em sua casa em Wembley. Foto: Reuters

Os ingleses chegaram à primeira final da história dos campeonatos do velho continente. Até agora, a Inglaterra disputou finais de grandes competições apenas em 1966, quando celebrou o título de campeã mundial em casa.


Mikkel Damsgaard marcou um grande gol.  Foto: Reuters
Mikkel Damsgaard marcou um grande gol. Foto: Reuters

Além do campeonato deste ano, também jogou entre as quatro melhores linhas selecionadas do velho continente em 1996 no EP nacional e no campeonato na Itália em 1968.

Os dinamarqueses, por outro lado, permanecem em uma final, após a qual conquistaram o título de campeões europeus em 1992. Naquela época, eles substituíram a desclassificada Iugoslávia no torneio na Suécia. Antes disso, eles jogaram nas semifinais em 1984, assim como este ano.

Notícias relacionadas
Os pênaltis deixaram os italianos felizes

Dois gols de dinamarqueses, um em sua própria rede
Os ingleses foram mais empreendedores no início da partida, aos 6 minutos Harry Kane passou na frente do gol, onde Raheem Sterling chegou um pouco atrasado. A dupla também trabalhou junto aos 9 minutos, mas desta vez Sterling chutou muito fraco, então Kasper Schmeichel não teve dificuldades. Aos 15 minutos, Kane chutou forte de cerca de 18 m, e sua tentativa acabou por cima do gol.


Autogolo de Simon Kjaer e o empate aos 39 minutos.  Foto: Reuters
Autogolo de Simon Kjaer e o empate aos 39 minutos. Foto: Reuters

Então os dinamarqueses tomaram a iniciativa, Martin Braithwaite chutou da entrada da área após um belo passe, mas a defesa inglesa bloqueou seu chute. Pierre-Emile Hojbjerg, em seguida, chutou de uma posição semelhante, que chutou para o centro do gol, Pickford fez uma boa defesa. O remate de Mikkel Damsgaard, aos 25 minutos, à entrada da grande área, acabou ao lado.


O presidente da UEFA, Aleksander Čeferin, e o príncipe britânico William, numa conversa pré-jogo.  Foto: Reuters
O presidente da UEFA, Aleksander Čeferin, e o príncipe britânico William, numa conversa pré-jogo. Foto: Reuters

Exatamente Mikkel Damsgaard deu um banho frio para os ingleses aos 30 minutos, quando marcou um gol excepcional de cobrança de falta – chutou certeiro e violento de cerca de 25 m, a bola passou por cima da parede viva e sob o travessão (0:1). Apesar de Jordan Pickford ter tocado na bola, ele não conseguiu evitar o primeiro gol sofrido pela seleção da Inglaterra na Euro deste ano.

Aos 38 minutos, Sterling desperdiçou uma grande oportunidade, mirando de cerca de 5 metros e chutando direto para Schmeichl. Aos 39 minutos, os ingleses empataram. A ação foi iniciada por Kane, que passou para Bukayo Saka na direita, que passou na frente do gol para Sterling, que infelizmente marcou um gol contra Simon Kjaer (1:1). Este já foi o 11º autogolo no campeonato deste ano, anteriormente os futebolistas marcaram um total de nove autogolos em todas as fases finais anteriores.

O guarda-redes de futebol inglês Jordan Pickford alcançou um novo recorde internacional nas meias-finais. Ele estava invicto por até 721 minutos, com os quais o goleiro de 27 anos melhorou o recorde de seu famoso compatriota Gordon Banks por um minuto.

A pressão inglesa não deu frutos
Aos 55 minutos, Schmeichel salvou brilhantemente o cabeceamento de Harry Maguire aos 11m com a ponta dos dedos. Aos 73 minutos, Schmeichel manteve sua rede intacta novamente, Mason Mount tentou surpreendê-lo com um lob. Aos 75 minutos, os ingleses pediram pênalti, mas o árbitro não concedeu. Aos 80 minutos, Kalvin Phillips chutou de longe, mas sua tentativa saiu ao lado.

Os ingleses pressionaram, mas não conseguiram encontrar o fundo das redes no tempo regulamentar, então a prorrogação foi disputada. Nele, as acusações de Gareth Southgate foram superadas em todas as posições, Kane tentou, depois Sterling, e o primeiro homem da Dinamarca, Schmeichel, permaneceu invicto.


Harry Kane marcou o gol da vitória.  Foto: Reuters
Harry Kane marcou o gol da vitória. Foto: Reuters

Kane venceu no segundo Schmeichl
Joakim Maehle parou indevidamente Sterling na grande área aos 102 minutos, o árbitro apontou o pênalti com a ajuda do VAR. Ele executou o castigo mais severo Harry Kanee Schmeichel defendeu seu pênalti de 11 metros, mas Kane veio para a defesa, que aproveitou a oportunidade no segundo e mandou a bola para a rede (2:1).

Na segunda parte da prorrogação, os ingleses deixaram a bola para os dinamarqueses e atacaram nos contra-ataques. No entanto, os dinamarqueses fecharam, mas o chute de longe de Braithwaite foi desviado para o canto por Pickford. Os dinamarqueses concentraram todas as suas forças no ataque, e os ingleses tiveram a bola final em seus pés, mas o chute de Sterling foi defendido por Schmeichel.

No primeiro confronto das semifinais de terça-feira, os italianos comemoraram após derrotar a Espanha nos pênaltis. A parte regular terminou com uma pontuação de 1:1, mas os italianos foram mais bem sucedidos na disputa de pênaltis com 4:2.

O futebol está voltando para casa, cante o inglês

SEMI-FINAIS, Londres:
INGLATERRA – Dinamarca 2:1 (1:1, 1:1)
64.950; Kjaer 39./ag, Kane 104.; Damsgaard 30.
Aos 104 minutos, Schmeichel primeiro salvou Kan na grande área, mas a bola quicou para Kan, que mandou a bola para a rede.
* – após extensão

Inglaterra: Pickford, Shaw, Maguire, Stones, Walker, Sterling, Rice (95./Henderson), Mount (95./Foden), Phillips, Saka (69./Grealish (106./Trippier)), Kane.

Dinamarca: Schmeichel, Maehle, Vestergaard (105./Wind), Kjaer, Christensen (79./Andersen), Stryger Larsen (67./Wass), Delaney (88./Jensen), Hoejbjerg, Damsgaard (67./Poulsen), Dolberg (67./Noergaard), Braithwaite.

Juiz: Danny Makkelie (Holanda)

A final será no domingo, às 21h, em Londres.

Egídio Pascoal

"Estudante. Especialista em web. Guru da música. Especialista em bacon. Criador. Organizador. Típico viciado em viagens. Estudioso de café. Explorador."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.