Partido Socialista vence eleições legislativas em Portugal : Despacho do Povo

António Costa, primeiro-ministro em exercício e líder do Partido Socialista, em declarações aos meios de comunicação social após votar. (Foto: via Facebook)

Nas eleições gerais realizadas para a Assembleia da República em Portugal no domingo, 30 de janeiro, o Partido Socialista (PS), liderado pelo primeiro-ministro em exercício, António Costa, garantiu uma vitória abrangente ao obter 41,7% dos votos e 117 dos 230 assentos. O Partido Social Democrata (PSD) emergiu como o principal partido da oposição, conquistando 76 assentos e 29,3% dos votos. As eleições registaram um aumento na popularidade do partido de extrema-direita Chega (Chega), que aumentou a sua contagem para 12 assentos, face à pontuação anterior de um, garantindo 7,2% dos votos. Grupos de esquerda, incluindo o Coalizão Democrática Unitária (A CDU) liderada pelo Partido Comunista Português (PCP) e pelo Bloco de Esquerda (BE) enfrentou um grande revés. O PCP e o BE ficaram confinados a seis e cinco assentos, respetivamente, muito menos do que o seu número anterior de 12 e 19 assentos.

Portugal foi a uma votação antecipada depois de a oposição ter conseguido derrotar a proposta orçamental do governo minoritário liderado pelo PS na assembleia em Novembro do ano passado. O PS, sob a liderança de Costa, está no poder em Portugal desde 2015, inicialmente com o apoio da coligação CDU no seu primeiro mandato (2015-2019) e depois como governo minoritário de 2019 a 2022. Com os resultados eleitorais, o PS pode formar um governo de maioria liderada por um partido único no país.

A par dos reveses enfrentados pelo PCP e pelo BE, os avanços alcançados pelo Chega são vistos com preocupação pelas camadas progressistas e da classe trabalhadora da região.

O Chega foi formado em 2019 sob a liderança de André Ventura como um partido populista nacional conservador de direita. Ganhou um assento nas eleições parlamentares portuguesas de 2019. O partido ganhou força nas presidenciais eleições realizada em 24 de janeiro do ano passado, com Ventura a obter 11,9% dos votos, próximo da segunda classificada Ana Gomes (13%) apoiada pelo PS. O atual presidente Marcelo Rebelo de Sousa, do PSD, foi reeleito na primeira volta com 60,7% dos votos. A ascensão do Chega, que defende visões islamofóbicas, anti-migrantes e eurocépticas em Portugal – onde a política de extrema-direita teve um sucesso marginal em comparação com outros países europeus – é um desenvolvimento preocupante para as forças de esquerda.

Após a declaração dos resultados, o secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, disse que os resultados das eleições legislativas traduzem-se num colapso eleitoral para a CDU com perdas significativas para os deputados. Ainda neste contexto, “a CDU reafirma a sua determinação em prosseguir e intensificar a intervenção em defesa dos interesses e aspirações dos trabalhadores e do povo, das soluções para os problemas nacionais, da luta por uma alternativa política com os valores da Revolução de Abril em o futuro de Portugal”, afirmou.

Estela Costa

"Leitor freelance. Introvertido premiado. Defensor do café. Especialista incondicional em bacon. Escritor amigável."

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *