Pichardo vence o salto triplo no Euro e Paul duas vezes

O campeão mundial e olímpico Pedro Picardo acrescentou um ouro europeu no salto triplo aos seus elogios em Munique na quarta-feira, enquanto a holandesa Femke Boll continuou sua busca por uma ousada dobradinha.

Picardo, nascido em Cuba, que joga por Portugal desde 2019, abriu o placar com 17,50m, à frente do italiano Andrea Dallavalle (17,04m) na prata e do francês Jean-Marc Pontvian (16,94) no bronze.

“Estou muito feliz com esta medalha de ouro, parece fácil, mas não é. É o resultado de muito trabalho”, disse Pichardo.

“É um bom título para ganhar e eu estava ansioso por isso, então estou muito feliz.

“17h50 não é ótimo, não estou muito feliz com isso porque eu queria mais do que isso. Mas, no geral, não poderia estar mais feliz com a medalha de ouro.”

Pohl, de 22 anos, venceu os 400 metros femininos em 49,44 segundos à frente das polonesas Natalia Kazmarek e Anna Kielbasinska.

Medalhista mundial de prata e medalhista olímpico de bronze nos 400m com barreiras, Paul agora está se concentrando novamente nesta corrida.

Mas não há descanso para o velocista holandês, com sua semifinal de 400m com barreiras na quinta-feira às 10h11 GMT e a final um dia depois às 20h.

[Aguardandoumavoltarápidadecliverealísticorelétríplicedourado4x400mob1945GMT

Como Dutch Femke

Andrej Isakovic

“Esta corrida foi mais difícil do que os 400 metros com barreiras”, disse Boll. “Percebi depois da corrida que não era uma corrida muito equilibrada.

“Eu me senti muito confiante e forte. Esta é minha primeira medalha de ouro nos campeonatos ao ar livre”, acrescentou, “não vou dormir muito esta noite, então os 400m com barreiras de amanhã serão difíceis.”

Em uma boa noite para os favoritos de uma volta, o medalhista de bronze Matthew Hudson-Smith, da Grã-Bretanha, manteve o título de 400m masculino em 44,53 segundos.

O suíço Ricky Petrucciani conquistou a prata em 45,03 segundos, e outro britânico, Alex Haydock-Wilson (45,17), chegou ao pódio.

No entanto, não é uma notícia tão boa para os atuais campeões, Pascal Martinot-Lagarde da França e Ekaterina Stefanidi da Grécia.

Azier Martínez da Espanha (C)

Andrej Isakovic

Martinot-Lagarde perdeu por pouco o ouro nos 110m com barreiras, quando o espanhol asiático Martinez venceu por um milésimo em um photo finish em 13s14s.

Outro francês, Just Kwaou-Mathey, conquistou o bronze em 13,33ec, com o companheiro de equipe Sasha Zhoya saltando sobre o último obstáculo para terminar em último.

Enquanto isso, Stefanidi foi negado um hat-trick de títulos europeus no salto pela finlandesa Vilma Murda, que quebrou o recorde do campeonato de 4,85m.

Stefanidi, campeã olímpica de 2016, ficou com a prata da eslovena Tina Sudja com apenas 4,75 m.

A romena Bianca Gelber venceu o lançamento do martelo na ausência da tetracampeã Anita Wlodarczyk, da Polônia.

O recordista mundial polonês ganhou ouro nas últimas três Olimpíadas e quatro títulos mundiais, mas se machucou enquanto perseguia um homem que tentou roubar seu carro, forçando-o a perder os campeonatos mundiais de Munique e Eugene.

Gelber alcançou um recorde pessoal de 72,22 m em sua primeira tentativa, o que foi suficiente para bater a polonesa Ewa Rozanska (72,12 m) e a italiana Sara Fantini (71,58).

O atual campeão belga Nafi Thiam foi o melhor no heptatlo após o primeiro dia de competição.

Ele alcançou 13,34 segundos nos 100 m com barreiras, 1,98 m no salto em altura, 14,95 m no arremesso de peso e 24,64 s nos 200 m de corrida, deixando 4063 pontos. O camarada Noor Wits é o segundo com 3.849 pontos.

Os heptatletas vão disputar as modalidades salto em distância, dardo e 800 m na quinta-feira.

Egídio Pascoal

"Estudante. Especialista em web. Guru da música. Especialista em bacon. Criador. Organizador. Típico viciado em viagens. Estudioso de café. Explorador."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.