Superman só é banido de estádios por invadir o campo

A partida final da 2ª rodada da Copa do Mundo no Catar entre portugueses e uruguaios foi interrompida na noite desta segunda-feira pela invasão de um torcedor ao gramado. O italiano, que entrou em campo vestindo uma camiseta com inscrições de apoio à Ucrânia e ao Irã, só foi proibido de entrar em estádios até o final da Copa do Mundo.

Segundo a AFP, ele tem 35 anos Mário Ferrium torcedor com um rico histórico de ações semelhantes em campo, após interrogatório e uma curta detenção já em liberdade.

Durante a partida Portugal-Uruguai, ele entrou em campo vestindo uma camiseta azul do Super-Homem com as palavras Salve a Ucrânia na frente e Respeito pela Mulher Iraniana nas costas. Nas mãos ele carregava uma bandeira do arco-íris com a inscrição Pace (paz em italiano).

O Ministério das Relações Exteriores da Itália disse que Ferri foi detido pelas autoridades de segurança do Catar após o incidente, mas posteriormente liberado sem maiores providências. A associação guarda-chuva de futebol Fifa anunciou que ele foi proibido de entrar nos estádios para as partidas restantes da Copa do Mundo.

Em seu Instagram, o jogador de futebol, que passou por clubes da Jordânia, Índia, San Marino, Seychelles e Suíça, escreveu hoje que está de volta.

“A Fifa baniu as braçadeiras de capitão com as cores do arco-íris. Pararam tudo, não puderam fazer comigo, sou como o Robin Hood”, disse. Ferri anunciou.

A agência de notícias italiana Ansa acrescenta que também se encontrou com o presidente da Fifa em decorrência de sua ida a campo Gianni Infantino. Ferri explicou que se desculpou por suas ações, mas sentiu que a mensagem que transmitia era muito importante.

Ele acrescentou que o procedimento na delegacia foi correto. “Estou livre, mas posso ter feito história” acrescentou Ferri, que deu a si mesmo o apelido de Sokol.

A AFP listou algumas de suas ações semelhantes do passado. Entre outras coisas, em 2010 ele correu para o campo em Abu Dhabi durante a partida da Copa do Mundo de Clubes entre Inter e Mazembe do Congo e acenou com o cachecol do Milan, rival do Inter na cidade.

CONSULTE MAIS INFORMAÇÃO

Um torcedor com uma mensagem de apoio à Ucrânia, ao Irã e à comunidade do arco-íris

Durante a Copa do Mundo de 2014 no Brasil, ele – novamente no papel do Super-Homem – entrou em campo durante a partida entre Bélgica e Estados Unidos e chamou a atenção para as crianças das favelas com uma placa. Em 2017, na partida do campeonato italiano entre Napoli e Juventus, ele se deparou com um jogador da Juventus Gonzalo Higuaín jogou o cachecol do Napoli, protestando contra sua mudança de Nápoles para Turim.

Egídio Pascoal

"Estudante. Especialista em web. Guru da música. Especialista em bacon. Criador. Organizador. Típico viciado em viagens. Estudioso de café. Explorador."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *