Um Gajser saudável quer voltar a desfrutar de Madrid

Não há estradas no motocross e mesmo parecendo que haveria Equipe Gajser quando o piloto de domingo sem estresse conquistou seu quinto título mundial, quarto na classe MXGP, o GP da Sardenha mostrou o quão imprevisível esse esporte cheio de adrenalina pode ser. A força maior veio na forma de uma doença, devido à qual o esloveno mal chegou à linha de chegada na Sardenha e ficou em sétimo lugar. Ele vai querer provar hoje na Espanha que foi apenas um distúrbio no sistema (imune).

“Foi difícil na Sardenha. Eu não estava me sentindo bem, o percurso era exigente e as temperaturas estavam altas. Era uma questão de sobrevivência. Mas agora isso ficou para trás e quero concentrar todos os meus pensamentos na Espanha e chegar ao nível que eu ‘ Ele ainda está indo muito bem no campeonato, agora só quero voltar a curtir a moto como antes”, diz otimista Tiga243, que conquistou o terceiro lugar no ano passado na pista de Xanadu-Arroyomolinos por Jeffrey Herlings e moradores Jorge Prado. O campeão da Holanda já está treinando, como pode ser visto em seu instagram, mas a dúvida é se retornará nesta temporada.

Tim Gajser segura firmemente um tablet vermelho em suas mãos. FOTO: Honda Racing

Os danos na Sardenha foram mínimos para o piloto de 25 anos de Pecs em uma Honda CRF450R. Em comparação com Maxime Renaux (Yamaha) perdeu apenas dois pontos ao vencer Calvin Flanders (Yamaha). A diferença para o francês é de 79 pontos.

“Depois de um começo tão bem-sucedido para Tim, a Sardenha mostrou como o motocross é difícil e que, se você não estiver 100%, não poderá ser competitivo. Esperamos muito mais na Espanha. O calor será feroz novamente, mas a pista não deveria ser tão exigente”, pensou o chefe da equipe Honda. Marcus Pereira de Freitasque percebe que a pista dura em Madrid é muito mais adequada ao seu craque do que a lavagem na Sardenha.

Tim Gajser prefere correr em pista dura do que na areia.  FOTO: Honda Racing

Tim Gajser prefere correr em pista dura do que na areia. FOTO: Honda Racing

Está claro para qualquer um com uma atenção superficial ao futebol o que estava na mente do povo de Madrid neste fim de semana, e os organizadores esperavam que as comemorações após a vitória do Real Madrid na final da Liga dos Campeões se espalhassem para a pista perto de um grande centro comercial nos subúrbios ocidentais. Madrid, onde estarão de dedos cruzados para o matador local Prado (GasGas).

Ele venceu sua primeira corrida em casa em 2020, quando mudou para um motor de 450cc como campeão no MX2. Na ausência de Herlings e Romain Febvre o jovem espanhol é considerado o principal rival de Gajser, mas sua diferença já é de 104 pontos por não ter disputado o GP da Itália.

Tim Gajser:

Tim Gajser: “Na Sardenha, era sobre sobrevivência.” FOTO: Honda Racing

Prado venceu três corridas individuais e o Grande Prêmio de Portugal durante a temporada, enquanto Gajser venceu seis das oito corridas e dez das 16 corridas. Seria muito bom para ele encontrar os sentimentos certos novamente, porque a Espanha será seguida pela França e pela Alemanha no espaço de uma semana, o Haložan poderá dissipar as últimas dúvidas sobre quem usará a placa vermelha até o final em 15 dias .

A primeira corrida no MXGP começará às 14h10, a segunda às 17h10 Ele competirá no MX2 Jan Pancar (KTM), desta vez 15º na classificação geral.

Paulino Leitão

"Especialista em cerveja. Leitor orgulhoso. Especialista em comida profissional. Praticante de zumbis. Explorador."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *